02 fevereiro 2014

Conclusão do Mês-Janeiro






Janeiro

Olá.

Esse post deveria ter saído no último dia de janeiro, mas por vários motivos, só hoje consegui fazê-lo.
Janeiro não foi um bom mês literário, eu costumo ler de 12 a 14 livros mês e nesse quesito fui um fracasso li chorando somente 09 livros.
Em compensação eu consegui ler mais livros meus do que emprestados e mesmo não podendo, comprei apenas três livros.
Vamos ver como foi?

Livros Lidos:

-As vantagens de ser invisível  para o Desafio DL Skoob 2014.
-Fios de prata - Reconstruindo Sandman. para o Desafio Diversidade Literária
Dexter, a mão esquerda de Deus para o Desafio Loucas por Livros & Esmaltes e Desafio realmente Desafiante.
Ímpeto e Melhor dos Erros para o Desafio Literário Harlequin (emprestado -LV)
-O guardião- Cidade das Sombras para o Desafio do Tigre
- Eu sou o Mensageiro para o Desafio Volta ao Mundo em 12 livros (aqui não tem necessidade de resenhas, eu deveria ter resenhado esse livro mas não tive tempo)
-O Príncipe Corvo
- Um Amor a Conquistar -(emprestado- LV)
-Liberta-me (emprestado-LV)

Conclui todos os Desafios Literários a que me propus.

No meu Desafio pessoal posso descontar:
- Páginômetro em 100.903. Faltam 42.112
-Livros lidos:09. Faltam 156.
- Livros meus 06. Faltam 110
-Livros emprestados: 03.Ainda posso ler 22
-Resenhas escritas 06 - Faltam 54
-Participação em 07 Desafios Literários.- Ultrapassei 03.

As compras:

Novembro de 63     Passarinha    Morte Súbita

Nas regras do blog, eu teria direito a comprar apenas um livro, mas como a compra foi antes da criação do blog e eles estão embutidos no total de 510, não estou me sentindo culpada, mas estou descontando dos livros que poderei comprar, então meu saldo é -3 livros.


Espero que  Fevereiro seja melhor.
E vocês estão cumprindo suas metas literárias?Contem-me

Se você interessou-se por algum livro que eu tenha lido e seja meu, com exceção do Príncipe Corvo, estão todos para trocar ou vender. Dá uma passadinha no meu perfil do Skoob e faça sua proposta.

Resenha: Ímpeto & Melhor dos Erros - Nora Roberts.




Aí ,que vontade...


impeto1
Edição: RR 045
Editora: Harlequin Books
ISBN: 9788576877660                      
Ano: 2010
Páginas: 288

Sinopse:
Impeto: Rebecca Malone decidiu que era hora de jogar fora tudo que fosse muito familiar, seguir seus impulsos e partir para a Grécia. Ela desejava viver uma aventura e conseguiria! Quando um homem estranho, porém sexy, a seduz, ela não resiste a dar asas a sua fantasia e começa a bancar o tipo de mulher sofisticada que certamente o atrairia. Porém, apaixonar-se por Stephen Nickodemus não estava em seus planos. Como ela poderia revelar sua verdadeira identidade para o homem que se tornara o dono de seu coração? E depois convencê-lo de que, mesmo assim, ela ainda era a mulher que ele amava?

 O Melhor dos Erros: Zoe Fleming tivera uma carreira meteórica como modelo, mas a gravidez a obrigara a se tornar mãe solteira em tempo integral. Em busca de uma pessoa para dividir as despesas domésticas, ela aceitou J. Cooper McKinnon, um homem rabugento e charmoso. Ele logo se afeiçoou ao filho de Zoe, ao mesmo tempo em que a encantava... Ela, porém, tinha de focar suas prioridades, e isso significava dinheiro... Portanto, talvez Zoe estivesse no caminho certo para um desastre... ou prestes a cometer o seu melhor erro!


Se você já passou por aqui, sabe que adoro Nora Roberts. Esses livrinhos de banca, normalmente tem histórias bem água-com-açúcar, mas mesmo assim Nora consegue fazê-los brilhar seja na construção de um personagem, seja no cenário. Que é o caso dessa duas historinhas.

Em Ímpeto, o casal principal é Rebecca e Stephen. Ela americana, ele grego( já ficou bom aí.). Rebecca é uma contadora,certinha, que sempre ajuda os amigos, usa as roupas certas, tem sempre uma palavra amiga, o tipo de pessoa ótima mas apagadinha, até que uma situação a faz analisar sua vida e ela percebe que quer dar uma basta nesse estilo, quer viver outras coisas, outras lugares. No anseio de  libertar- se do comum, ela tem uma atitude impetuosa: Vende tudo o que tem,(até a cafeteira!), larga o emprego e vai passar uma temporada na Europa em férias. O objetivo é viver e fazer tudo por impulso.
Quem nunca teve vontade de fazer isso? Eu pelo menos tenho várias vezes, como dizia a minha mãe, tem dias que eu quero sumir.
Ela vai a Londres, Paris, até que chega na Ilha Corfu, na Grécia. Lá, conhece Stephen que se encanta com o ar de felicidade que ela passa. Entre uma conversa e uma garrafa de champanhe (oferecida por ele, claro!) de se os dois combinam de passear.
"Stephen tocou suas taças num brinde.Os olhos dela borbulharam cheios de vida, tão agradáveis quanto a bebida.
- Negócios?
-Não, apenas prazer - Que palavra maravilhosa pensou. Prazer.

Daí, Nora cria um cenário deslumbrante, a ilha com suas casinhas brancas contra o mar grego, um piquenique em um Olival, Atenas. Ela fez eu pesquisar quanto eu teria que economizar para fazer um passeio pela Grécia. Quem sabe um dia?
O livro é clichê, e claro tem encontros e desencontros, tem uns errinhos de continuação básicos, mas é uma história bonitinha e pelo cenário, vale a pena a leitura.

"Estivemos aqui antes-murmurou ele-Sente a mesma coisa?
Quando estou a seu lado é como se eu estivesse me recordando o tempo todo. Erguei a cabeça para fitá-lo-Não sei como explicar."


Já em melhor dos erros, os protagonistas são Zoe e Cooper. Zoe é uma ex-modelo em ascensão que engravida e contrariando as expectativas de todos, resolve ter o bebê e provar que poderia cuidar muito bem dela e de seu filho sem ajuda de ninguém. Ela tem dois empregos, cuida da casa, do menino. O tipo de mulher que pinta, borda, costura,cozinha e ainda rebola.
Ela compra uma casa de dois andares independentes e para aumentar a renda decide alugar a parte de cima e quem aparece para aluga-la é nosso herói Copper, que é um homem metódico, com a vida organizadinha, solteirão convicto, que não tem o menor jeito com crianças.

" Ao lado da pia, havia um livro sobre reforma de casas, aberto na seção encanamento.Cauteloso, Cooper abriu a torneira.Quando a água fluiu rápida e limpa, ele assentiu, satisfeito."
Nessa história, quem rouba a cena é Keenan, filho de Zoe. Bagunceiro e inocente como só uma criança de quatro anos pode ser, ele é fofíssimo e consegue colocar o durão Cooper em várias situações que ele nunca imaginou passar( dá para gargalhar nas roubadas) e aos poucos consegue amolecer o coração do homem.

" A ideia de levar uma manada de crianças gritalhonas de volta à piscina comunitária em qualquer época até o próximo século estava descartada por Coop."

Zoe também é uma protagonista ótima, diferente das normalmente ingênuas, água de salsicha,  dos romances de banca é  uma mulher exemplar que não está interessada em encostar-se em alguém para criar a criança, ela não quer um pai para o filho, ela quer um homem. O idiota do livro claro, é Cooper, dividido entre a solteirisse e o amor pela mãe do meninos, ele faz várias burradas. Mas como é um romance da Nora, o final é bom e todos vivem felizes para sempre. Amém.


"Você não precisa de mim-Ele deu outro suspiro longo. -Não para cuidar das coisas, para você ou para o garoto,quero dizer, para aparar a grama ou montar churrasqueiras estúpidas. E as minhas necessidades, Zoe?"
"... Eu estava com medo porque preciso de você.Porque preciso ver seu rosto, ouvir sua voz e sentir o cheiro dos seus cabelos.Eu só preciso que você esteja lá. E eu preciso ajudá-la a aparar a grama e montar uma churrasqueira. Preciso que você precise de mim em retorno."
Avaliação: 3/5

O livro não é nenhuma obra prima,mas gostei bastante das duas historinhas. Seja por qual motivo for, Nora Roberts sempre me faz sorrir. E vocês gostam de romance? romance de banca? Nora Roberts? Contem-me


Livro lido e resenhado para o Desafio Literário Harlequin.








30 janeiro 2014

Resenha - Fios de Prata - Reconstruindo Sandman


Salada Literária 


 Fios de Prata
Edição: 1
Editora: LeYa
ISBN: 978580445961
Ano: 2012
Páginas: 352
Sinopse - Fios de Prata - Reconstruindo Sandman - Raphael Draccon
Mikael Santiago realizou o sonho de milhares de garotos. Aos 22 anos era o jogador brasileiro com o passe mais caro da história do futebol. Mas à noite os sonhos o amedrontavam. Às vezes, o que está por trás de um simples sonho – ou pesadelo – é muito maior que um desejo inconsciente. Há séculos, Madelein, atual madrinha das nove filhas de Zeus, tornou-se senhora de um condado no Sonhar, responsável por estimular os sonhos despertos dos mortais. Uma jogada ambiciosa que acaba por iniciar uma guerra épica envolvendo os três deuses Morpheus, Phantasos e Phobetor, traz desordem a todo o planeta Terra e ameaça os fios de prata de mais de sete bilhões de sonhadores terrestres. Envolvido em meio a sonhos lúcidos e viagens astrais perigosas, a busca de Mikael pelo espírito da mulher amada, entretanto, torna-se peça fundamental em meio a uma na fguerra onírica. E coloca a prova sua promessa de ir até o inferno por sua amada.
Fios de Prata - Reconstruindo Sandman - Raphael Draccon.

Esse foi o primeiro livro que li para os desafios literários dos quais estou participando e será um dos últimos a ser resenhado. Porquê? Eu precisava deixar a história "assentar" para eu poder decidir o que realmente achei desse livro.

Diz a lenda grega que da união de Hypnos (personificação dos sonhos e Gracia Pasitea (uma das graças) nasceram três deuses menores,  Phantasos, Deus do Inanimado que depois recebeu o reino de Phantasia, Phobetor Deus dos Pesadelos e Morpheus o lorde moldador, o senhor das memórias.
Dos três, Morpheus se tornou tão amado pelos humanos na figura do Sandman que,  muitos nem conhecem seus outros irmãos oníricos. Em um pedaço do reino do Sonhar , habita também Madeleine, o anjo dos sonhos despertos. Descontentes com o reconhecimento de Morpheus  e seu esquecimento, uma batalha épica com uma jogada arriscada está se delimitando e  poderá atingir não só o território do sonhar, mas o fio de prata dos sonhadores terrestres.
Enquanto isso, no orbe terrestre conhecemos Milkael Santiago, o Allejo, uma promessa do futebol brasileiro vendido ao Paris San Germain por uma cifra exorbitante e Ariana Rochembach, (uma descendente de italianos, com sobrenome alemão!) ginasta brasileira, sulista - uma ressalva: colocar dois protagonistas esportistas foi de imensa criatividade, tirar o foco do eixo RJ -SP também, porém, o uso exagerado de Bah, Tchês e Guris por parte de Ariana deixa a fala dela irritante - uma promessa da ginástica olímpica nacional.
Certo dia, já em Paris ( preste atenção ao local) Allejo vai assistir a uma apresentação de Ariana e se vê apaixonado por aquela deusa das rondadas flip flap, e duplos twists carpados ( Raphael faz questão de explicar, cada salto, cada passada, como se você estivesse vendo a apresentação da Daiane dos Santos na Olimpiadas e pela televisão) e se apaixona. Faz de tudo para se aproximar de Ariana e conversar com ela e o tema inicial é claro, esportes. Ariana a princípio, não dá muita conversa a Allejo, o considera um "garoto" mas depois de um tempo, eles começam a sair e a namorar.
É quando Allejo faz uma das principais afirmações do livro:
"Por você eu iria ao Inferno"
O que liga  Allejo ao reino do sonhar é que ele convive com inúmeros pesadelos onde estão demônios, súcubos e corpos com um estranho fio acoplados a eles, uma espécie de teia, um fio de prata. Porém pouco depois de iniciar seu namoro com Ariana, é ela quem passa a ter pesadelos em seu lugar. Esses pesadelos começam inclusive a interferir na vida desperta de Ariana, que sofre um grave acidente que a deixa presa em uma situação de onde só Allejo será capaz de resgatá-la.
Para esse resgaste Allejo terá de ser capaz de entender quem é (ou foi), qual o seu desígnio e aprender a confiar em pessoas e situações que nunca viu. Para salvar Ariana, ele terá que sonhar.

O livro todo se passa entre a Batalha do Reino do Sonhar e o mundo terrestre, as cenas são divididas pelo subtítulo com o nome do protagonista e muitas vezes as situações se passam ao mesmo tempo aqui ou lá.
Existem outros personagens, e é por meio deles que são feitas as ligações entre o mundo desperto e os sonhos. Personagens que seguirão e instruirão Allejo até sua batalha final.
Um ponto legal na leitura é que a  cada ação praticada no reino do Sonhar corresponde uma ação aqui na Terra e Draccon usa fatos reais para demonstrar  tais atos. Quando Lorde Phantasos se une a guerra no sonhar ao lado de Morpheus, o mundo que era derrota não era mais:
" A policia grega havia prendido um homem de 31 anos com uma aparência tão inofensiva e debilitada que outros sentiam pena ao avistar. O sujeito era um canibal que matou outro homem, esquartejou-o e comeu algumas de suas partes. Tentou beber o sangue do morto, mas dissera não ter se adaptado ao gosto da seiva. O homem morto era seu pai."

Ate aí o livro é muito interessante, porém do início da instrução de Allejo até sua batalha por  Ariana,  o livro se mostra como que eu chamei de salada literária, porque se no início você tem uma mitologia grega influenciando na conduta humana, na instrução de Allejo para a batalha,que é  feita na Terra por um grupo  de pessoas, que  se reúne onde ,creio eu, se assemelha a um centro kardecista (lembra quando eu falei para lembrar que o encontro deles foi em Paris? A França é a terra natal de Alan Kardec), que o ensina a fazer uma viagem astral.
Depois disso, você encontra elementos não só mitológicos, como kardecistas, cristãos (nos últimos capítulos, passagens do Apocalipse são citados para ilustrar ações) e um pouco de cultura japonesa com Masamune. Além disso, como a batalha principal se dá no Sonhar a presença de dragões, elfos, feiticeiras e uma variedade extensa de guerreiros, lutando lado a lado com anjos e demônios, incluindo nesses o Arcanjo Gabriel na sua eterna luta com Lúcifer e as hordas do Inferno liderada por Baalzebu, Abadom e o Senhor das Moscas.
 No mundo dos sonhos, quando Allejo questiona porque ele é tão importante para a luta, a explicação vem da teoria de reencarnações que no seu caso remonta ao tempos de Cristo (nessa parte, o livro me pregou um belo susto!)e a filosofia da dualidade do ser humano de Descartes e Lock.
E aí fiquei me perguntando, se esse livro seria incômodo a quem segue alguma religião, pois tratar dogmas como fantasia...ou se o livro não seria qualificado como fantasia, mas como leitura espiritual, chegando a auto-ajuda com elementos fantasiosos.

Sobre a escrita, a repetição de descrição de alguns dos personagens e o uso de pseudônimos me incomodaram um pouco Quando ele fala por exemplo, do dragão montado por Phobetor na batalha, ele repete em várias trecho que se tratava de uma forma pensamento criada pelos pesadelos humanos; já em outros trechos, ele chama Morpheus de o caçula, e Phantasos de O primogênito e daí você ficar lembrando da ordem de nascimento de cada um é  complicado. Fora alguns errinhos de grafia (eu peguei acesso com um só s, que se transformou em aceso) e alguns erros de pontuação, porém, eu já li por aí que a revisão da LeYa não é boa, o que não é culpa do autor. Como esse é o primeiro livro da Editora que leio, não posso condená-los de todos, erros acontecem.

Eu falaria mais sobre o livro, mas o medo de contar mais do que já contei é imenso, e respondendo a pergunta sobre o que eu achei:  A história é boa, a pesquisa foi interessante e fora alguns fatores irritantes eu gostei  e recomendo, se essa misturada toda, não te enjoar.

" Tu inspiraste Rowling e foi nas terras de Morpheus que se moldou Hogwarts. Tu inspiraste Tolkien e foi nas terras de Phantasos que se anexaram as extensões da Terra Média. Tu inspirastes Lovecraft e em minhas terras se ficou Miskatonic. Então eu te pergunto com sinceridade, anjo: Até onde vai tua vontade de ser coadjuvante em um mundo de formas e pensamentos?"
Avaliação 3/5


Livro lido para o Desafio Literário Diversidade Literária 2014. Janeiro tema: Fantasia.